Permacultura

Ana011

Design Social

By | Blog | One Comment

Design Social

Ana Fulô, 30 de Maio de 2016 15h13m

Boa tarde leitores do Diblioteca,

Vamos iniciar a semana falando um pouco sobre Design Social.

Como foi dito na minha publicação passada (Responsabilidade Ambiental e Design), estamos vivendo momentos caóticos em que as ambições individuais estão nos desconectando da natureza o que consequentemente traz desarmonia, desequilíbrio e crises. O tema anterior pontuei a questão ambiental, como o sistema econômico/político atual está desarmonizando a qualidade de vida dos sistemas naturais, e o quanto eu acredito que o Design é uma importante ferramenta de melhoria. Hoje vou continuar nessa linha de pensamento, porém voltada para os aspectos sociais e culturais falando um pouco sobre Design Social.

 

Print

O sistema econômico atual criado sobre alicerces como os interesses pessoais, consumismo, produção em grande escala e hiper-valorização do lucro é indiferente aos interesses coletivos, ao cuidado com a Terra e a distribuição igualitária dos recursos que necessitamos. Eis que daí surgem vários problemas de desigualdade social, econômica e cultural, onde classes privilegiadas são criadas e supervalorizadas em relação a outras que se encontram segregadas e oprimidas.  O Design, bom como ele é, adora criar soluções e se mostra mais uma vez uma grande ferramenta de melhoria para os problemas anteriormente citados… Para os amigos, que assim como eu, sentem que precisam fazer a diferença e que viver é muito mais do que passar a vida toda projetando dentro de um escritório a serviço do mundo comercial/capitalista… eu te digo: O Design Social veio nos salvar (rs).

O Design Social compreende a importância de priorizar as condições sociais porém não deixando de lado os requisitos técnicos, ambientais, econômicos, funcionais, ergonômicos, estéticos, culturais e outros, portanto, o Design Social diferente do Design Comercial que é voltado para o mercado e apegado a vendas e lucros, concentra-se em cuidar das necessidades das pessoas tendo uma perspectiva mais humana e social se conduzindo para uma produção solidária juntamente com a responsabilidade moral do Design. Um ponto considerado por essa prática é a preocupação com a falta de acesso à agua e energias, a falta de acessibilidades de tecnologias limpas, a falta de acesso ao consumo consciente de produtos de qualidade e outras restrições que podemos encontrar nas comunidades segregadas. Dentro da criação dos projetos, visando o social, os profissionais não se limitam a ficar horas em seus computadores projetando, eles vão a campo, vivenciar a realidade da comunidade para compreender a fundo quis são os problemas e quais são as reais necessidades daquele público e como o Design pode auxiliar, se tornando assim um Design empático onde busca-se interação e compreensão por meio de vivencias e conversas com as pessoas que vivem naquele ambiente, muitas vezes os profissionais fazem uma imersão no local onde se pretende trabalhar para poder vivenciar de perto o dia a dia, a cultura daquele povo. Para abordagem dos problemas pode ser usado o Design Thinking, que é um processo colaborativo onde forma-se uma equipe multidisciplinar com o propósito de realizar projetos ricos em conhecimento e recursos de diversas áreas.

Alguns exemplos de projetos criados com a pegada do Design Social são:
O projeto do designer Gabriele Diamanti, chamado Eliodomestico, que é um open-sourced que transforma água salgada em água doce. Foi projetado com a finalidade de atender pessoas em países em desenvolvimento.

 Eliodomestico02

Eliodomestico01

E o Hippo Roller, criado em 1991. Atualmente é usado em mais de 20 países africanos e contabiliza uma ajuda a aproximadamente 300,000 pessoas. Muitas delas sofriam de problemas na coluna e no pescoço causados por carregar galões de água sobre a cabeça, por longos percursos. Com apenas 3 itens (o barril, a tampa e a alça), o projeto é simples e beneficia diretamente populações que não tem acesso à água potável.

Hippo Roller01

Hippo Roller02

Por hoje era isso que eu gostaria de compartilhar com vocês, e dizer que venho trabalhando e pesquisando sobre o Design Social e já sinto o quanto esse é um trabalho gratificante e empático. Meu convite é: Vamos nos unir para trabalhar visando o bem coletivo!

Abraços e até a próxima publicação!

___

Ana Gois

Ana Fulô

 

Ana Fulô – Designer de Interiores; Pós-Graduanda em Permacultura; Colunista do Diblioteca.

futuro01

Responsabilidade Ambiental e Design

By | Blog | No Comments
Ana Gois

Ana Fulô

Bom dia amigos,

Vamos começar a semana com uma coluna nova no Blog Diblioteca.

Uma apresentação rápida para ficarmos mais íntimos: Me chamo Ana Fulô, e sou graduada em Design de interiores, atualmente vivo em um coletivo onde estou me aventurando no mundo da Permacultura e Bioconstrução. Meu objetivo é compartilhar com os leitores do Blog novos aprendizados e conceitos que acrescentam o Design e tudo o que ele envolve, principalmente no que diz respeito às questões ambientais, sociais e culturais.

Fiquem a vontade para comentar, sugerir, criticar, compartilhar o que vocês acham pertinente, que esse espaço seja livre para produção de ideias e troca de conhecimento entre nós.

Pois bem, então para inaugurar essa coluna vamos iniciar falando um pouco sobre Design e Meio Ambiente.

Pixabay01Nós, meros seres humanos, fazemos parte de um grande sistema orgânico, que podemos chamar de Meio Ambiente, para que esse sistema evolua e se sustente é necessário que todos os elementos deste trabalhem em conjunto, porém à décadas a espécie Homo (mas nem tão Sapiens) começou a trabalhar individualmente e fora de harmonia com o todo (Meio Ambiente). Estudamos em geografia quando criança que o Planeta Terra é feito de recursos renováveis e recursos não renováveis a longo prazo (recursos finitos). A medida em que o homem tentou se separar do Meio Ambiente ele também começou a explorar os recursos para a criação de sistemas artificiais, daí a criação de ferramentas e produtos em geral, consequente a essa manifestação temos uma dualidade: o lado positivo que é a evolução dessa espécie e o lado negativo que resultou em exploração excessiva dos recursos naturais e degradação do Meio Ambiente.

Atualmente estamos vivendo um momento onde necessitamos buscar por soluções práticas e saudáveis de reintegração da nossa espécie com o Planeta, para que o TODO volte a ser preservado e que consigamos viver que maneira cíclica.

 Vejo no Design uma forma de “salvar o mundo”, se seu sonho quando criança era ser heroína/herói e hoje você faz Design, eu te digo: Seu sonho está se realizando!!!

green O Design é uma forma de criar soluções, é fazer do problema a própria solução, somos os inventores da Nova Era. Podemos contribuir de várias formas para a preservação do nosso meio natural, vamos pensar, por exemplo, no ciclo de vida de um objeto que criamos ou utilizamos em um projeto: Da onde ele vem? Ele não vem do nada, certo? Ele vem da extração de alguma matéria prima, depois passa pelo processo de fabricação, em seguida é transportado para diversos lugares até chegar nas mãos do consumidor final, após estar lindamente colocado no local escolhido pelo novo dono, esse objeto tem uma função e um tempo de durabilidade, e depois de utilizado e definido como “objeto sem uso” ele é descartado.

Analisando esse pequeno ciclo podemos levantar várias questões como: Qual matéria prima foi extraída? Ela é finita? Qual a forma de produção desse objeto? O Quão impactante (ambientalmente e socialmente) é o modo de produção? Qual é a forma de transporte desse objeto até chegar ao consumidor final? Qual a durabilidade desse objeto e a qualidade? E quando descartado, para onde vai?! Como vemos são muitas as questões a se pensar na hora de consumir, criar ou sugerir ao um cliente um produto. O designer contribui com o Meio Ambiente quando ele faz projetos conscientes, cabe ao profissional a escolha de trabalhar em harmonia com a natureza, preservando e respeitando os recursos naturais e todos os outros seres, pensando na qualidade de vida das nossas gerações e das gerações futuras.

futurofuturo01

 

 

 

 

 

Ana Fulô – Designer de Interiores; Pós-Graduanda em Permacultura; Colunista do Diblioteca.

___
Fonte das Imagens: pixabay